Midnight Oil: com sua formação original, inicia a tour brasileira hoje por POA

Crédito: Oliver Eclipse

Das praias do norte de Sydney para as ruas de Manhattan, o Midnight Oil se tornou uma referência do cenário rock’n’roll, muito por causa do seu posicionamento político, influenciando uma porção de fãs ao redor do mundo. O grupo, que encerrou as suas atividades no final de 2002, recentemente anunciou que voltará ao palcos com a The Great Circle 2017 World Tour, que vai chegar ao Pepsi on Stage, no dia 25 de abril, reunindo a formação clássica da banda. Em Porto Alegre, o quinteto australiano irá relembrar as grandes composições dos seus principais discos, lançados entre os anos 80 e 90, que juntos venderam mais de 10 milhões de cópias. Com letras que muito retratam os problemas da humanidade e do nosso próprio planeta, o Midnight Oil não deixará de fora do seu repertório os hits que ficaram marcados pelo seu engajamento social, como “Beds are Burning”, “Blue Sky Mine”, “Forgotten Years” e “The Dead Heart”, entre outros mais. A The Great Circle 2017 World Tour também será marcada pelo lançamento de um conjunto de CD’s remasterizados, num box set que ainda vai incluir um álbum e um DVD com mais de dez horas de material inédito e raro.

MIDNIGHT OIL           

Entre os anos 80 e a primeira década do novo século, o Midnight Oil saiu da Austrália para ganhar o mundo, se transformando em uma das referências do rock’n’roll mundial, não só pela qualidade de seu som, mas também pela força de suas ideias. Suas fortes convicções políticas, sua defesa das principais causas ambientais e dos direitos do povo aborígene transformaram seus hits em hinos, seus shows em eventos que ressuscitaram a mítica do espírito contestador e inconformista do gênero.

Fundada em 1972, a banda lançou 13 álbuns entre 1978 e 2002, esteve no topo das paradas em todo o mundo, fez turnês por todos os continentes e viveu momentos memoráveis, como quando se apresentou para um público estimado em mais de um bilhão de pessoas no encerramento das Olimpíadas de Sydney, em 2000. Após a turnê de lançamento do último álbum e a saída do vocalista Peter Garrett, que deixou a banda para seguir uma carreira política em tempo integral, o Midnight Oil decidiu encerrar suas atividades.

Porém, em uma coletiva de imprensa realizada no porto de Sydney, no dia 17 de fevereiro de 2017, a banda anunciou uma nova turnê mundial, chamada The Great Circle 2017 World Tour, que começará com um show em um pub na sua cidade natal e, em seguida, passará pelo Brasil, América do Norte, Europa e Nova Zelândia, antes de retornar à Austrália para um encerramento culminante. Será a primeira vez que o grupo irá se apresentar em mais de 15 anos, com a sua formação original: Peter Garrett (vocal), Jim Moginie (guitarra), Martin Rotsey (guitarra), Bones Hillman (baixo) e Rob Hirst (bateria).

Além dessa nova turnê, a banda também anunciou na coletiva que relançará toda a sua obra num box set especial, que incluirá um CD e um DVD de material inédito e raro. A passagem do Midnight Oil pelo Brasil vai começar no dia 25 de abril, em Porto Alegre, e passará ainda pelas cidades de Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

           
MIDNIGHT OIL

Onde:
Quando:
25 de abril, terça-feira, a partir das 21h30
Abertura da casa:
19h
Classificação:
16 anos

Ingressos:

Pista:

Lote 1:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa): R$ 150
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 140
Inteira: R$ 280

Pista Premium:

Lote 1 [ESGOTADO]:
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 230
Inteira: R$ 460

Lote 2:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa): R$ 250
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 240
Inteira: R$ 480

Mezanino:

Lote 1 [ESGOTADO]:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa): R$ 210
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 200
Inteira: R$ 400

Lote 2:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa): R$ 230
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 220
Inteira: R$ 440

* Os alimentos deverão ser entregues no Pepsi on Stage, no momento da entrada ao evento.

** Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto), é necessária a apresentação da carteira de estudante na entrada do espetáculo. Os documentos aceitos como válidos estão determinados no artigo 4º da Lei Estadual 14.612/14.

Pontos de venda:


FNAC Porto Alegre – Barra Shopping Sul
Horário de funcionamento: de segunda a sábado, das 10h às 20h; domingo e feriados, das 13h às 19h
Formas de pagamento: dinheiro, Visa, Mastercard, Diners, Amex, ELO, Aura, Maestro e Visa Electron
* Não permite a retirada de ingressos adquiridos pela Internet

Realização: Move Concerts

Informações:



Continue Lendo...

Korn: veteranos, mas com muita energia, fecham a tour brasileira em POA

Ontem, o KORN encerrou a perna brasileira da sua tour sul-americana, na capital gaúcha, Porto Alegre, para um público estimado em torno de 3 mil pessoas pela produção do evento.


A primeira atração da noite de domingo, dia 23 de abril,  foi a banda brasileira EGO KILL TALENT que iniciou a sua performance às 18h40. Durante 45 minutos a banda formada em 2014 que tem no seu line-up músicos com muitos anos de estrada, oriundos de bandas como Sepultura, Reação em Cadeia, Diesel/Udora, Sayowa e Desalmado, mostrou a que veio. Assistindo o quinteto em ação deu para entender porquê a banda vem sendo apontada pela mídia especializada como uma das maiores revelações do rock brasileiro dos últimos tempos.

Foi o debut do supergrupo formado por Jean Dolabella (bateria e guitarra), Jonathan Correa (vocal), Raphael Miranda (bateria e baixo), Niper Boaventura (guitarra e baixo) e Theo Van Der Loo (guitarra e baixo) na capital gaúcha, depois de uma mini-tour no estado que passou por São Leopoldo, Caxias do Sul e Canela.


A banda que apresentou seu álbum homônimo, fez um rodízio de instrumentos em algumas músicas. Somente o vocal que não mudou. Essa movimentação dos integrantes, certamente deve ter chamado a atenção dos desavisados. Mas essa é uma característica da banda, a identidade coletiva; inclusive  todas as músicas apresentadas foram compostas coletivamente.

Para quem ainda não conhece e gosta de um rock pesado,com influências variadas, de extrema qualidade, recomendo.

Setlist:
Just To Call You Mine
Sublimated
We All
The Searcher
Old Love and Skulls
Heroes, Kings and Gods
Still Here
Last Ride
Try (There Will Be Blood)


Às 20h15, quando "The Bitch" foi avistado pelo público, o Pepsi on Stage veio abaixo.

Finalmente, depois de tanto tempo de espera, havia chegado a vez dos gaúchos assistirem pela primeira vez uma das bandas pioneiras do nu metal, estilo que combina elementos do metal com outros ritmos como o hip-hop. Foi impossível manter-se parado ouvindo a banda em ação. Banda que tanto sucesso fez no início dos anos 90, época do boom do gênero, mas que se não tivesse qualidade, com certeza, não estaria na ativa até hoje. Sem ser piegas, fazia muito tempo que não presenciava um público com tamanha empolgação durante o show inteiro,e não só em alguns momentos.


Jonathan Davis (vocal), James "Munky" Shaffer (guitarra), Brian "Head" Welch (guitarra), Ray Luzier (bateria) e Tye Trujillo (baixo), subiram ao palco e iniciaram a sua performance com "Right Now" do álbum "Take a Look in the Mirror" de 2003.

Durante 1h30 o grupo apresentou um setlist que agradou em cheio o público. Contou com vários clássicos  da banda, alguns covers -“Word Up” (CAMEO), trechos de “We Will Rock You” (QUEEN) e “One” (METALLICA), abre aspas ver o baixista-mirim tocando a música da banda do pai foi muito legal, aliás ver o pai-coruja no backstage curtindo o filhote arrasando no palco também foi emocionante - e  duas faixas do álbum mais recente, lançado no final do ano passado. "Rotting in Vain"e "Insane"- únicas faixas do "The Serenity of Suffering" apresentadas no set e ambas foram cantadas pelo público com a mesma empolgação que os hits da banda.


Obviamente que parte das atenções do público se voltaram ao menino-prodígio de 12 anos, filho de Robert Trujillo, do METALLICA que substituiu "Fieldy" na tour sul-americana da banda. O baixista original reassume seu posto em maio.

Tye, anteriormente arriscou-se nas baquetas, mas que pelo que se viu no palco, agora encontrou o seu instrumento. O adolescente, que toca na banda THE HELMETS, substituiu à altura o baixista original da banda. Mostrou muito feeling, habilidade e muita, mas muita segurança no palco.


A banda, que já contabiliza 24 anos de estrada, mostrou que continua em ótima forma. Munky, Head destruindo tudo com seus riffs, era muita energia. Se fosse definir o show de ontem com uma palavra seria "Energia". Todos se movimentando muito no palco, interagindo muito com o público. Jonathan com seu vocal ímpar, Ray Luzier destruindo tudo nas baquetas e o "Trujillinho" acompanhando os veteranos com uma segurança incrível.

Quem foi ontem no Pepsi on Stage, com certeza, saiu satisfeito com o show que presenciou.

Parando para pensar nisso, o KORN mesmo com suas quase duas décadas e meia mantém quase que a formação original, um fato louvável hoje em dia, não é mesmo?

Negativo do show? Somente sua curta duração.

Nota do Editor:
A presença de Robert Trujillo no backstage chegou a causar um certo alvoroço. O Público o saudou mais de uma vez.


Setlist:
Right Now
Here to Stay
Rotting in Vain
Somebody Someone
Word Up!
Coming Undone/We Will Rock You
Insane
Y'all Want a Single
Make Me Bad
Shoots and Ladders/One
Drum Solo
Blind
Twist
Good God
Falling Away From Me
Freak on a Leash

Nota do Editor:
A presença de Robert Trujillo no backstage chegou a causar um certo alvoroço. O Público o saudou mais de uma vez.

Fotos: Sônia Butelli

Agradecimentos à Hits Entretenimento

Veja mais fotos do show aqui..

Leia matéria no Whiplash.Net








Continue Lendo...

OPINIÃO E PISCA PRODUTORA APRESENTAM MASSACRATION

Crédito: Filipe Nevares

O grupo de heavy metal Massacration, formado pelos integrantes do programa humorístico Hermes e Renato, vai retornar aos palcos, para uma série de apresentações. A banda, que lançou em 2005 o álbum “Gates of Metal Fried Chicken of Death”, considerado um dos discos de maior sucesso do metal nacional, estará no Opinião, no dia 12 de agosto, para reviver todo aquele clima de festa e de brincadeira, que conquistou uma porção de fãs nos anos 2000. O grupo, que recentemente voltou à ativa em um comercial do Mc Donald’s e com o single “Metal Milf”, vai fazer a alegria da plateia gaúcha com o seu repertório de sucessos, que inclui as pesadas e hilárias “Metal is the Law”, “Evil Papagali”, “The Mummy” e “Sufocators of Metal”, cujos videoclipes foram exibidos à exaustão pela MTV Brasil. Em cena, o Massacration também irá fazer uma homenagem a Fausto Fanti, integrante do Hermes e Renato morto em 2014.

           

O Massacration é uma banda brasileira de heavy metal criada pelos integrantes do grupo humorístico Hermes e Renato, sucesso da MTV. O quadro em que o grupo aparecia acabou tomando proporções tão grandes, criando uma legião de admiradores, que levou a banda a fazer shows de verdade. Realizando paródias de ícones como Manowar, Iron Maiden e Angra, o Massacration lançou em 2005 o seu primeiro CD, “Gates of Metal Fried Chicken of Death”, produzido pelo ex-VJ e vocalista do Ratos de Porão João Gordo.

Com grande destaque dentro da emissora, a banda também estreou, em 2005, o seu próprio programa musical na MTV, chamado Total Massacration. Apresentando clipes de heavy metal e fazendo enquetes sobre a própria banda, os caras do Hermes e Renato foram líderes de audiência e ainda conseguiram assinar um contrato com a gravadora Deckdisc para o lançamento do seu álbum de estreia. O hit “Metal is the Law” puxou as vendas do disco para cima, que atingiu a marca de 50 mil cópias comercializadas em todo o Brasil. De quebra, “Gates of Metal Fried Chicken of Death” ganhou Disco de Ouro e se tornou um dos álbuns mais vendidos da história do heavy metal no Brasil.

Após uma extensiva turnê, que durou cerca de três anos e passou mais de uma vez por todas as capitais do Brasil, a banda voltou para o estúdio, para gravar o seu segundo disco. “Good Blood Headbangers”, produzido pelo renomado Roy Z (Bruce Dickinson, Halford e Glenn Hughes), foi lançado em 2009 e atingiu boas marcas a partir do sucesso dos videoclipes de “The Bull”, que contou com a participação dos atores pornôs Kid Bengala e Fabiane Thompson; “The Mummy”, em parceria com o cantor cearense Falcão; e “Sufocators of Metal”.

O Massacration, que passou os últimos anos separado para que os integrantes do Hermes e Renato pudessem se dedicar a outros projetos na televisão, se reuniu em 2016 para gravar um comercial do Mc Donald’s. A campanha, além de vencer diversos prêmios no Brasil, foi o ponto de partida para que o grupo anunciasse o retorno das suas atividades. Ao lado do produtor Lampadinha, indicado diversas vezes ao Grammy Latino, a banda gravou o single “Metal Milf” e está embarcando para mais uma grande turnê pelo nosso país, que ainda vai passar, no segundo semestre de 2017, por Fortaleza, São Luís, Belo Horizonte, Florianópolis e São Paulo.

MASSACRATION

Onde:
Quando:
12 de agosto, sábado, às 20h
Abertura da casa:
18h30
Classificação:
14 anos

Ingressos:

Lote 1:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa): R$ 40
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 35
Inteira: R$ 70

Lote 2:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa): R$ 50
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 45
Inteira: R$ 90

Lote 3:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa): R$ 60
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 55
Inteira: R$ 110

Lote 4:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa): R$ 70
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 65
Inteira: R$ 130

* Os alimentos deverão ser entregues no Opinião, no momento da entrada ao evento.

** Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto), é necessária a apresentação da carteira de estudante na entrada do espetáculo. Os documentos aceitos como válidos estão determinados no artigo 4º da Lei Estadual 14.612/14.

Pontos de venda:

Bilheteria oficial (sem taxa de conveniência – somente em dinheiro):
Youcom Bourbon Wallig

Demais pontos de venda (sujeito à cobrança de R$ 5 de taxa de conveniência – somente em dinheiro):
Youcom Shopping Praia de Belas, Iguatemi, Bourbon Ipiranga, Barra Shopping Sul, Bourbon Novo Hamburgo e Canoas Shopping
Mil Sons Alberto Bins 366, Coronel Vicente 434 e Alberto Bins 554


Informações:



Continue Lendo...

OPINIÃO APRESENTA ALAIN JOHANNES

Crédito: Marty Temme

Alain Johaness, um dos músicos mais atuantes do rock’n’roll mundial, irá voltar a Porto Alegre para o seu primeiro grande show por aqui. O vocalista e guitarrista, que abriu a turnê do Queen Stone of Age na América Latina em 2014, vai se apresentar no Opinião, no dia 20 de junho, para mostrar um apanhado geral de toda a sua carreira, que conta com dois trabalhos solo, cinco discos com a banda Eleven e uma grande quantidade de gravações e parcerias, com gente do calibre de Josh Homme e Dave Grohl. Johannes, uma das cabeças mais criativas do stoner rock, também aproveitará o seu único show no Brasil para apresentar algumas canções do seu mais recente projeto, chamado Ten Comandos e que teve como colaboradores Matt Cameron, do Pearl Jam; e Ben Shepherd, do Soundgarden. No palco do Opinião, o artista vai ter a companhia dos músicos chilenos Cote Foncea e Felo Foncea para dar destaque às faixas “Kaleidoscope” e “Endless Eyes”, da sua carreira solo, “Towers” e “Reach Out”, eternizadas pelo Eleven, e ao clássico “Hangin’ Tree”, co-escrito com o Queens of the Stone Age.

ALAIN JOHANNES           

Chileno de nascimento, mas criado nos Estados Unidos desde a infância, Alain Johannes tem o seu nome marcado na cena rock mundial, há pelo menos 25 anos. Com o Eleven, banda que formou com a sua já falecida esposa, a vocalista Natasha Shneider, e com Jack Irons, ex-baterista Red Hot Chili Peppers, Johannes lançou cinco discos, entre 1991 e 2003, e realizou turnês ao lado do Pearl Jam e do Soundgarden.

A lista de parceiros e colaboradores não para por aí e, como ele mesmo costuma dizer, mais parece uma enciclopédia do rock. Ainda durante a escola, entre os anos 1981 e 1985, o vocalista e guitarrista integrou o What Is This?, ao lado dos ainda desconhecidos Hillel Slovak e Flea. O grupo, que gravou dois EP’s nesse período, iria mais tarde recrutar o cantor Anthony Kiedis e mudar de nome. De lá para cá, Johaness ainda se envolveu com uma porção de artistas consagrados, como Chris Cornell, Mark Lanegan, No Doubt, PJ Harvey, Silverchair, Jimmy Eat World, Brody Dalle e Arctic Monkeys, como músico de apoio ou atuando no estúdio, como produtor ou engenheiro.

Os trabalhos mais representativos de Johaness, entretanto, tiveram a parceria do seu grande amigo Josh Homme. No disco “Songs for the Deaf”, lançado pelo Queens of the Stone Age em 2002, o guitarrista foi o co-autor da música “Hangin’ Tree”, até hoje tocada ao vivo pela banda. Já no álbum “Lullabies to Paralyze”, de 2005, Johannes foi quem tocou guitarra e baixo em todas as faixas, substituindo temporariamente Nick Oliveri no grupo. Não muito tempo depois, ainda integrou o line-up ao vivo do Them Crooked Vultures e excursionou pelo mundo inteiro, fazendo shows ao lado de Homme, Dave Grohl e John Paul Jones.

Com uma carreira solo também consolidada e bastante elogiada pela crítica especializada, Johanness lançou os discos “Spark”, em 2010, e o mais recente “Fragments and Wholes Vol. 1”, que chegou às lojas em 2014. O artista também foi o músico convidado para abrir a turnê do Queens of the Stone Age na América Latina, três anos atrás, e para integrar a superbanda Sound City Players, que gravou a trilha sonora do documentário sobre o lendário estúdio norte-americano Sound City. A música “Trick with No Sleeve”, presente nesse disco, foi escrita por Johannes em parceria com Grohl e Homme.

ALAIN JOHANNES

Onde:
Quando:
20 de junho, terça-feira, a partir das 20h
Cronograma:
19h – abertura da casa
20h – banda de abertura
21h – Alain Johannes
Classificação:
14 anos

Ingressos:

Lote 1:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa): R$ 60
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 55
Inteira: R$ 110

Lote 2:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa): R$ 70
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 65
Inteira: R$ 130

Lote 3:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa): R$ 80
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 75
Inteira: R$ 150

* Os alimentos deverão ser entregues no Opinião, no momento da entrada ao evento.

** Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto), é necessária a apresentação da carteira de estudante na entrada do espetáculo. Os documentos aceitos como válidos estão determinados no artigo 4º da Lei Estadual 14.612/14.

Pontos de venda:

Bilheteria oficial (sem taxa de conveniência – somente em dinheiro):
Youcom Bourbon Wallig

Demais pontos de venda (sujeito à cobrança de R$ 5 de taxa de conveniência – somente em dinheiro):
Youcom Shopping Praia de Belas, Iguatemi, Bourbon Ipiranga, Barra Shopping Sul, Bourbon Novo Hamburgo e Canoas Shopping
Mil Sons Alberto Bins 366, Coronel Vicente 434 e Alberto Bins 554


Informações:



Continue Lendo...

Amon Amarth e Abbath: nove shows no Brasil em maio


A extensa tour pela América Latina também vai aterrorizar a Argentina, Chile, Peru, Colômbia, Costa Rica e México – foto: divulgação

O Amon Amarth (foto), um dos nomes mais respeitados do metal mundial na atualidade, confirmou recentemente a tão aguardada passagem da turnê promocional do devastador  novo álbum “Jomsviking” pela América Latina, trazendo como special guest a banda norueguesa do lendário Abbath (ex-Immortal). 

Os reis do viking metal Johan Hegg (vocal), Ted Lundström (baixo), Johan Söderberg (guitarra), Olavi Mikkonen (guitarra) e Jocke Wallgren (bateria) retornam ainda mais sedentos, impiedosos e prontos para aterrorizar nove cidades brasileiras.

Os ingressos para todas as datas da “Jomsviking Latin America tour 2017” pelo Brasil continuam à venda. Confira as principais informações nos links relacionados abaixo: 

24/05 - Bar da Montanha – Limeira

26/05 - Circo Voador - Rio de Janeiro

27/05 - Tropical Butantã - São Paulo

28/05 - Music Hall - Belo Horizonte

30/05 - Opinião - Porto Alegre

31/05 Hermes Bar (antigo Music Hall) Curitiba

02/06 - Teatro Manauara - Manaus

03/06 – Armazém - Fortaleza

04/06 - Hellcifest - Recife

“Jomsviking”, 10º disco de estúdio do Amon Amarth, foi produzido pelo renomado Andy Sneap (Megadeth, Testament, Accept) e lançado via Metal Blade Records nos EUA e via Sony Music no resto do Mundo. 

Este trabalho, que estreou na 19º posição no chart The Billboard 200, arrancou elogios de toda a imprensa especializada ao classificá-lo como um registro de grande introspecção e complexidade, principalmente por  ser o primeiro álbum conceitual do grupo, que retrata um trágico conto de amor e vingança. A história épica original está ambientada no mundo dos Jomsvikings, a lendária ordem dos mercenários vikings.

Formada em 1992, na cidade de Tumba, o Amon Amarth é uma das principais bandas do metal contemporâneo e o representante nº1 do viking metal. O nome curiosamente é baseado na obra “O Senhor dos Anéis”, de J.R.R. Tolkien, tendo o significado de  "Montanha da Perdição" em Sindarin, idioma também denominado "a língua dos elfos-cinzentos".

Após o lançamento dos álbuns “Twilight of the Thunder God” (2008), o grupo explodiu, chegando a ser considerado um dos pilares do death metal mundial, figurando na capa das principais revistas especializadas e nos grandes festivais da Europa como Wacken Open Air, Hellfest, Download Festival, Sweden Rock Festival e Mayhem Festival.

Além disso, o Amon Amarth ganhou o prêmio de “Melhor Performance” da revista Metal Hammer durante o Golden Gods Awards, teve o prestigio de abrir ao show do Iron Maiden na Finlândia, saiu em turnê com o Megadeth, Slayer, Testament, Children Of Bodom, Suicidal Tendencies, Metal Church, entre outros.


Já os noruegueses do Abbath chegam ao Brasil com o status de uma das atrações internacionais mais pedidas pelo público brasileiro. O grupo foi formado em 2015, após o lendário guitarrista e vocalista Olve Eikemo (a.k.a. Abbath Doom Occulta) polemicamente resolver deixar o Immortal. 

A banda lançou seu primeiro álbum “Abbath” em 22 de janeiro do ano passado, fez seu show de estreia no Tuska Open Air e caiu na estrada ao lado do Children of Bodom pelos EUA. Neste momento, Abbath, King ov Hell (baixo) e Creature (bateria) estão produzindo um novo registo, que deverá ser lançado ainda este ano.


Links relacionados:



Continue Lendo...

GBH: Quarteto é atração do festival "Morrostock de Peso" no Opinião


Quando os Replicantes escreveram — na clássica festa ‘Festa Punk’, lançada em 1987 — “quero uma festa em que eu possa dançar, com Clash, Undertones e GBH”, eles provavelmente não imaginavam que fariam um arrastapé nervoso ao lado de algumas dessas lendas do punk inglês. Pois hoje, exatos 30 anos depois, o verso soa como uma profecia. Afinal, o grupo gaúcho vai promover rodas de pogo no mesmo evento em que o GBH faz sua estreia em Porto Alegre. A celebração hardcore está marcada para 3 de maio, a partir das 19h, na edição do Morrostock de Peso que rola no Opinão (José do Patrocínio, 834). O Total Chaos (EUA) também levanta o moicano para deixar o título da música citada no início deste texto ainda mais apropriado à esta gig. Outras bandas independentes do Rio Grande devem ser anunciadas em breve.


Sobre a atração principal:

Criado em 1979 sob a alcunha de Charged GBH (acusado de lesão corporal grave, em tradução livre, em “homenagem” a um problema com a lei pelo qual passava o então baixista), o quarteto ficou mundialmente conhecido apenas pela sigla final de seu nome.

Ao dar mais peso e distorção ao punk feito na terra da rainha, o GBH tornou-se um dos principais expoentes da segunda onda do estilo em seu país, conhecida como UK82 — que inclui, ainda, nomes como Discharge e The Exploited.

Tendo à frente o vocalista Colin Abrahall e seu indefectível cabelo louro arrepiado, a conjunto nunca parou de excursionar e lançar discos. São 11 álbuns até o momento, sendo Perfume and Piss (produzido pelo guitarrista do Rancid, Lars Frederiksen). Sua influência atinge desde de congêneres mais novos a colegas do metal, como o Slayer, que regravou a clássica ‘Sick Boy’.

Além do frontman, outros 2 membros da formação original vem ao Brasil nesta gira: Colin “Jock” Blyth (guitarra) e Ross Lomas (baixo). Quem segura as baquetas é Scott Preece, na função desde 1992.

O repertório é um passeio pela carreira dos ingleses e inclui faixas como ‘Race Against Time’, ‘Lycanthropy’ e ‘City Baby Attacked By Rats’.



Serviço:
Morrostock de Peso 2017
GBH (UK) + Total Chaos (EUA) + Os Replicantes
Dia: 03 de Maio | Quarta-feira às 19h
Local: Bar Opinião
Abertura da Casa: 17h30
Ingressos:
| Primeiro Lote |
Promocional: R$ 60
(acessível a todas as pessoas mediante doação de 1kg de alimento no dia do evento)
Meia entrada: R$ 55
Ingresso Inteiro: R$ 110
Pontos de Venda:
Bilheteria oficial (sem taxa de conveniência – somente em dinheiro): Youcom Bourbon Wallig
Demais pontos de venda (sujeito à cobrança de R$ 5 de taxa de conveniência – somente em dinheiro):
- Youcom Shopping Praia de Belas, Iguatemi, Bourbon Ipiranga, Barra Shopping Sul, Bourbon Novo Hamburgo e Canoas Shopping
- Mil Sons Alberto Bins 366, Coronel Vicente 434 e Alberto Bins 554


Confirme presença no evento: https://goo.gl/iQGP1P

Enviado por Homero Pivotto Jr.


Continue Lendo...

Korn e Ego Kill Talent em Porto Alegre


A banda californiana de nu metal Korn, que acaba de lançar o álbum The Serenity of Suffering, desembarca em Porto Alegre para uma apresentação única no dia 23 de abril, no Pepsi On Stage. Na mesma noite, o grupo Ego Kill Talent – nova promessa do rock brasileiro – apresenta seu álbum homônimo, pela primeira vez na capital gaúcha.

Com realização da Hits Entretenimento, os ingressos estão à venda no site www.blueticket.com.br e no PDV da Hits, no Shopping Iguatemi Porto Alegre

The Serenity of Suffering, décimo segundo álbum de estúdio do Korn, foi produzido por Nick Raskulinecz (Foo Fighters, Deftones, Mastadon) e lançado no último dia 21 de outubro. O trabalho conta a participação especial de Corey Taylor (Slipknot) em uma das faixas e marca o retorno do Korn à gravadora Roadrunner Records.

Recentemente, a banda lançou o vídeo do single "Rotting in Vain" com participação de Tommy Flanaggan, da série Sons of Anarchy. O clipe já alcançou a marca de mais de oito milhões de visualizações no canal oficial da banda no YouTube.


O Korn surgiu no início dos anos 90 em Bakersfield, Califórnia, e é um dos pioneiros do nu metal, gênero influenciado por bandas de rapcore. Formado, atualmente, por Jonathan Davis (vocal), James "Munky" Shaffer (guitarra), Reginald "Fieldy" Arvizu (baixo), Brian "Head" Welch (guitarra) e Ray Luzier (bateria) e com doze álbuns de estúdio no currículo – a banda já vendeu mais de 50 milhões de discos em todo o mundo e se tornou umas das mais bem sucedidas bandas de metal nos últimos 20 anos.

Korn coleciona vários álbuns de platina, além de dez estreias consecutivas no Top 10 do Billboard 200. A banda também recebeu várias indicações ao Grammy e ganhou em duas ocasiões.

Crédito: Felipe Vieira

A banda de rock brasileira Ego Kill Talent, formado por Jean Dolabella (bateria e guitarras - ex-integrante do Sepultura, banda com a qual gravou dois álbuns), Jonathan Correa (vocal), Raphael Miranda (bateria, baixo), Niper Boaventura (guitarra, baixo) e Theo Van Der Loo (Baixo, guitarras).

Em menos de um ano, o grupo fez muito barulho e está renovando o atual cenário de rock brasileiro. A banda ficou cinco semanas na quarta posição do Top 50 Viral da Spotify no Brasil e participou de festivais como Lollapalooza, Maximus Festival, Rolling Stone Festival e Planeta Atlantida. Ego Kill Talent foi apontada na lista do Google de 20 principais promessas musicais para o Brasil. De acordo com o próprio Google, a lista foi baseada no crescimento orgânico em mídias sociais, Youtube, pesquisas e streaming de música.

Lançado em janeiro de 2017, o primeiro álbum homônimo da Ego Kill Talent foi produzido por Steve Evetts, que já trabalhou com nomes como The Dillinger Escape Plan, The Cure, Giraffe Tongue Orchestra, entre outros. O trabalho está em playlists oficiais do Spotify nos Estados Unidos, Canadá, França, México, Reino Unido e Portugal.

Serviço:
Local: Pepsi On Stage
Data: 23 de abril de 2017 (domingo)
Abertura dos portões: 18h

Cronograma:
Ego Kill Talent - 18h30
Korn- 20h

Classificação: 16 ANOS
0 A 11 Anos – Não entra
12 A 15 Anos – Entra acompanhados dos pais ou acompanhante
Acima de 16 anos – Entra sozinho

Ingressos:
Pista Premium– R$ 360,00
Pista (Segundo Lote) – R$ 220,00
Mezanino – R$ 260,00

Vendas On-line: www.blueticket.com.br
Vendas Callcenter: 51 3117 0850

Ponto de Vendas:

Hits Shopping Iguatemi (PDV Oficial) – sem taxa de serviço

Av João Wallig, 1.800 – Passo da Areia (2º andar em frente ao Itaú) Porto Alegre / RS
Segunda a Sábado, das 10 às 22h / Domingo, das 14 às 20h

Cartão de crédito (3x sem juros), débito e dinheiro.
Cartões: Visa, Master, Amex e Elo

Enviado por Hits Entretenimento



Continue Lendo...