Slayer: como foi a estreia da lenda do thrash metal do Big 4 em Porto Alegre

Publicado em: sábado, 13 de maio de 2017


A capital gaúcha aguardava um show do SLAYER há muito tempo, pelo menos há uns 30 anos.

Desde o lançamento de "Reign in Blood" em 1986, Porto Alegre já recebeu METALLICA, MEGADETH e o ANTHRAX e agora, finalmente, recebeu o SLAYER. As quatro bandas juntas formam o famoso "Big 4" das bandas de thrash metal da década de 80.

E a banda americana trouxe à capital gaúcha, como convidados especiais, os seus conterrâneos da RED FANG, uma banda de stoner rock que tem um som visceral e os clipes mais fabulosos do mundo.

A noite da última quinta-feira, dia 11 de maio, não foi nada fria em Porto Alegre.

A movimentação já havia começado alguns dias antes com muitas atrações em cartaz na cidade como GBH, ROB ZOMBIE, GHOST, RHAPSODY e SONATA ARCTICA; mas a atração mais aguardada, sem dúvida, era SLAYER.

O show movimentou a cena local e tirou muita gente de casa; inclusive muitas excursões vieram de várias localidades para assistir o debut de Tom Araya e de sua trupe por aqui. Resultado disso foi um Pepsi on Stage cheio, ou melhor, lotado.

A RED FANG subiu ao palco, exatamente, às 21 horas, já animando o público com o coro de "Olé, Olé, Olé, Slayer!".

Bryan Giles (guitarras/vocal), Aaron Beam (vocal/baixo), David Sullivan (guitarra) e John Sherman (bateria) conseguiram mostrar para o público em um pequeno espaço de tempo, uma parte de sua trajetória com músicas de seus quatro discos, sendo o mais recente "Only Ghosts" de 2016.

Um fato que surpreendeu o público na apresentação da banda foi a troca de vocal nas músicas entre Bryan e Aaron, não tendo um vocalista fixo durante sua performance. Performance que, com certeza, fez a banda conquistar mais público.

A banda trouxe muito material importado para venda como CD, vinil, camiseta, patch, botom, porta-copo e outros a um valor acessível, o que também agradou os headbangers.

Setlist:

Blood Like Cream
Malverde
Crows In Swine
Wires
Flies
Dirt Wizard
Prehistoric Dog

Quando a RED FANG deixou o palco, a emoção já tomava conta de cada rosto dos presentes, pois todos sabiam que faltavam poucos minutos para a atração principal da noite entrar em ação.

Emoção que aumentou mais um pouco quando subiu o "Backdrop", pano de fundo do palco, do atual disco "Repentless" de 2015. Inclusive a capa desse disco foi realizada pelo designer "cariúcho" Marcelo Vasco, nascido no Rio de Janeiro, mas que mora no Rio Grande do Sul. Um orgulho para os gaúchos.

Com pouco atraso, muita fumaça no palco e com muita gente com lágrimas nos olhos começa a introdução "Delusions of Saviour" e o público enlouquecido gritando "Slayer, Slayer, Slayer..."

No palco, na frente de todos estavam Tom Araya (baixo e vocal), Kerry “Fucking” King (guitarra), Gary Holt (guitarra) e Paul Bostaph (bateria)  que começam a histórica apresentação com o petardo do novo disco e título do mesmo "Repentless".

Foi quando ocorreu uma pausa para conversa. O que não era bem uma conversa na verdade, e sim, era a famosa frase de Tom "Are you ready?" (Vocês estão preparados?) e era apenas o que todos queriam escutar para um "War Ensemble". E nada mais digno do que emendar clássico atrás de clássico de toda sua carreira diante dos felizardos que assistiram o show.

Desse momento em diante não se viam celulares nas mãos, tão comuns hoje em dia em shows, e sim rodas e mosh pit, como tem que ser um show do SLAYER.

O público gaúcho estava esperando este momento mesmo, era só felicidade a cada música executada desde o inicio e rodas, rodas que não paravam nunca.

Mais uma introdução clássica e todas berraram juntos “If You Live By The Sword, You Die By The Sword” (Se Você Vive Pela a Espada, Você Morre Pela Espada) e cantaram juntos o clássico "Die By Sword" do disco de estreia da banda "Show No Mercy" de 1983.

E assim sucedeu a noite dos gaúchos com as frases clássicas que todos gostariam de escutar e com músicas que todos queriam escutar e ecoar aos quatro cantos do mundo e dizer que o SLAYER estava em Porto Alegre.

Gary Holt assumiu o posto deixado pela morte de Jeff Hanneman em 02 de maio de 2013 e mostrou que não teriam um substituto à altura de Jeff melhor, a não ser o amigo e guitarrista da banda EXODUS.

Gary passou a noite trocando de guitarras e homenageando Jeff com seu logo clássico da cerveja com nome "Hanneman".

Gary Holt é um guitarrista além do seu tempo vai para todos os lados e se encaixa perfeitamente no SLAYER e Paul Bostaph que já tocou quase metade do tempo de existência da banda, volta e mostra o que é SLAYER, não deixando nenhum fã desapontado.

Para finalizar a noite um estouro e cai o backdrop de "Repentless" e fica no lugar o logo oficial da banda para dizer que o encerramento seria épico com "Seasons in the Abyss", "Hell Awaits", "South of Heaven" e "Raining Blood", para ninguém ficar parado.

E finalizaram com dois clássicos "Black Magic" com Tom Araya mexendo a cabeça (em 2010, Tom fez uma cirurgia na coluna que impossibilita movimentos bruscos com a cabeça), pois
nem ele aguentou ficar parado e "Angel of Death" com o público cantando e no mosh pit.

No rosto de todos era estampado a cara de felicidade e no do integrantes do SLAYER o de dever cumprido. Com direito a inúmeras palhetas, baquetas e agradecimentos ao público.

Noite perfeita. Tudo estava perfeito - o som, estrutura, palco, iluminação e SLAYER.

O público gaúcho já aguarda um retorno em breve dessa lenda do thrash metal.3

Setlist:

Delusions of Saviour
Repentless
The Antichrist
Disciple
Postmortem
Hate Worldwide
War Ensemble
When the Stillness Comes
You Against You
Die by the Sword
Chemical Warfare
Dead Skin Mask
Captor of Sin
Mandatory Suicide
Fight Till Death
Seasons in the Abyss
Hell Awaits
South of Heaven
Raining Blood
Black Magic
Angel of Death

Agradecimentos à Opinião Produtora

*Texto escrito por William Guedes Cezar, novo redator, colaborador do ROCKSBLOG

Leia também no Whiplash.Net







Nota do Editor:
Fotos não profissionais do show, meramente ilustrativas.
Apenas o redator do veículo recebeu credenciamento.

0 comentários:

Postar um comentário