Sepultura: Opinião e Pisca Produtora apresentam turnê comemorativa de 30 anos em POA

Publicado em: segunda-feira, 18 de julho de 2016

Crédito: Melissa Castro

O Sepultura, um dos nomes mais importantes do movimento heavy metal brasileiro, finalmente irá voltar ao Opinião, mais de uma década depois do seu último show por aqui. O grupo, que vem excursionando pelo mundo inteiro com a sua turnê comemorativa de 30 anos de estrada, subirá ao nosso palco, no dia 16 de outubro, para fazer um apanhado geral da sua carreira, com músicas praticamente de todos os seus discos. O quarteto, que lançou em 2013 “The Mediator Between Head and Hands Must Be the Heart”, considerado o seu melhor álbum desde a chegada do vocalista norte-americano Derrick Green em 1998, irá misturar as melhores composições de todas as suas fases, junto com algumas canções que não aparecem nas suas apresentações há tempos. Além das essenciais “Troops of Doom”, “Territory”, “Roots Bloody Roots”, “Refuse/Resist” e “Attitude”, que o público sempre espera para cantar e agitar junto com a banda, faixas praticamente esquecidas também estarão no repertório, como “Ambush”, “Endangered Species” e “Dictatorshit”. Além dessas, até mesmo uma composição inédita, que integrará o próximo álbum dos caras, previsto para chegar às lojas em outubro, deverá ser apresentada ao vivo em primeira mão, chamada “I am the Enemy”
                                      

Poucas são as bandas no mundo que influenciaram tantos gêneros musicais quanto o Sepultura. Ao longo de seus 30 anos de existência, esses brasileiros, saídos de Minas Gerais, tiveram como marca a vanguarda na música pesada mundial. Thrash metal, death metal, black metal, groove metal, nu metal, hardcore e metalcore. A lista é quase infindável. Primeiro conquistou o mundo, para depois ser visto em seu próprio país. No transcorrer das últimas três décadas que marcam a passagem de sua gloriosa carreira, o Sepultura se constituiu como referência a cada nova geração de headbangers.

Implacável e incansável, rompendo a barreira inexorável do tempo, o grupo se notabilizou pela persistência. Dos tempos mais inóspitos do underground brasileiro, de álbuns ríspidos e crus como “Bestial Devastation” e “Morbid Visions”, passando pela chegada de Andreas Kisser, no lugar de Jairo Guedes, e a evolução técnica do “Schizophrenia” até estourar, definitivamente, nas paradas internacionais. Primeiro com o “Beneath the Remains”, depois os discos de ouro que se sucederam com “Arise”, “Chaos AD” e “Roots”.

Em dezembro de 1996, um trauma. Mas, nem mesmo a saída do vocalista Max Cavalera fez com que a banda desistisse. Um norte-americano se juntou a esses brasileiros na persecução de continuar a carregar o peso do seu som mundo afora. Derrick Green trouxe ao Sepultura a versatilidade de sua amplitude vocal. E com o Fumaça à frente dos microfones, o grupo seguiu adiante: “Against”, “Nation”, “Roorback” e “Dante XXI”.

Dez anos depois da partida de Max, uma nova saída. Menos traumática do que a anterior, mas não menos impactante. Igor Cavalera, co-fundador do grupo, deixava o Sepultura. Com Jean Dolabella nas baquetas, “A-Lex” e “Kairos” ecoaram o nome do Sepultura nos quatro cantos do mundo. O ano de 2011 se aproximava do fim quando Jean deixou a banda. Em seu lugar, entrou o pequeno prodígio de nome Eloy Casagrande - que sequer tinha dois meses de idade quando o álbum “Arise” fora lançado em 1991. A chegada do garoto deu um novo gás ao Sepultura, que partiu para a estrada, levando na bagagem o peso da história e de sua música.

Lançado em 2013, “The Mediator Between Head and Hands Must Be the Heart” é o álbum de estúdio que traz a banda ao seu 30º aniversário. Um petardo, variando entre canções rápidas, agressivas e brutais com outras em que o peso do groove forma um verdadeiro paredão sonoro. Um trabalho que mostra ao mundo que o Sepultura segue firme e forte. Resistindo à implacável passagem do tempo, perseverando às mudanças. A inextinguível chama do Sepultura segue a se propagar. Ao mesmo tempo em que celebra o marco de 30 anos, a banda já pensa no adiante. Para a frente todos os aconteceres. Um ciclo que se encerra é um novo tempo que se inicia. O 31º, de muitos anos ainda por vir, de sua gloriosa carreira apenas começou.




SEPULTURA – 30 ANOS

Onde:
Opinião (Rua José do Patrocínio, 834 - Cidade Baixa - Porto Alegre)
Quando:
16 de outubro, domingo, às 20h
Abertura da casa:
18h30
Classificação:
14 anos

Ingressos:

Lote 1:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível ou agasalho, disponível para qualquer pessoa): R$ 40
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 35
Inteira: R$ 70

Lote 2:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível ou agasalho, disponível para qualquer pessoa): R$ 50
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 45
Inteira: R$ 90

Lote 3:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível ou agasalho, disponível para qualquer pessoa): R$ 60
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 55
Inteira: R$ 110

Lote 4:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível ou agasalho, disponível para qualquer pessoa): R$ 70
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 65
Inteira: R$ 130

* Os alimentos e os agasalhos deverão ser entregues no Opinião, no momento da entrada ao evento.

** Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto), é necessária a apresentação da carteira de estudante na entrada do espetáculo. Os documentos aceitos como válidos estão determinados no artigo 4º da Lei Estadual 14.612/14.

Pontos de venda:

Bilheteria oficial (sem taxa de conveniência – somente em dinheiro):
Youcom Bourbon Wallig

Demais pontos de venda (sujeito à cobrança de R$ 5 de taxa de conveniência – somente em dinheiro):
Youcom Shopping Praia de Belas, Iguatemi, Bourbon Ipiranga, Barra Shopping Sul, Bourbon Novo Hamburgo e Canoas Shopping
Multisom Andradas 1001 e Bourbon São Leopoldo


Informações:


0 comentários:

Postar um comentário