OPINIÃO APRESENTA TITÃS

Publicado em: sexta-feira, 1 de julho de 2016

Ainda em turnê com o disco “Nheengatu”, considerado pela conceituada rádio 89 FM o melhor álbum de rock nacional dos últimos 20 anos, o Titãs vai voltar ao Opinião, no dia 1º de julho. Mais pesado, direto e crítico do que nunca, o grupo trará para a capital gaúcha todas as suas músicas novas, que muito bem retratam o atual cenário político do país, como “Fardado”,  “Mensageiro da Desgraça”, “República dos Bananas” e “Cadáver sobre Cadáver”, essa última composta em parceria com Arnaldo Antunes, ex-vocalista do conjunto. Além das faixas do visceral “Nheengatu”, que também já foram transformadas em um CD e um DVD ao vivo, lançado no ano passado, o Titãs também vai misturar em seu repertório grandes clássicos do rock nacional, como “Bichos Escrotos”, “Sonífera Ilha”e “Televisão”, com algumas canções que há tempos não eram executadas em cima do palco, como são os casos de “Desordem” e “32 Dentes”.
       

Não consuma esse disco se tiver estômago fraco. “Nheengatu” é repleto de cenas fortes, impróprias para quem não encara as verdades de frente. Tem pedofilia. Tem fome, miséria, crack. Tem machista covarde que dá flores para a mulher, mas que se revela um monstro de ciúme possessivo. Tem bossais preconceituosos que espancam quem não segue suas cartilhas de costumes. Tem quem sobrevive em vez de viver e personagens de HQs que poderiam perfeitamente ter saído das redes sociais.

“Nheengatu” é uma crônica ácida do Brasil em carne viva, com as angústias e mazelas que estão bem aqui do nosso lado.  Os Titãs, que se consagraram por cravar a unha na ferida e nunca tiveram pudor em virar do avesso temas incômodos, lançam seu 18º disco, mais críticos e atuais do que nunca. Dessa vez, em tempo real. Como “Fardado”, composta enquanto protestos e manifestações varriam o país afora: “Por que você não abaixa essa arma/O meu direito é seu dever/Por que você não usa essa farda/Pra servir e pra proteger”.

Nesse retrato contemporâneo, em que elementos regionais se misturam ao som predominantemente pesado, também aparecem os que andam pelas ruas por outros motivos. Drogados e mendigos perambulam por endereços famosos de São Paulo em “Mensageiro da Desgraça”. Foi olhando para nossas origens, aliás, que os Titãs batizaram o disco. “Nheengatu” é uma língua derivada do tupi-guarani, criada pelos jesuítas no século XVII para unir as tribos nativas e os brancos recém-chegados.

“Nheengatu define bem um disco que trata dos assuntos mais sensíveis no desenvolvimento da sociedade brasileira nos dias de hoje. Nossa civilidade, ética e moral estão nas letras desse CD”, detalha Paulo Miklos, que se inspirou na música indígena para compor, em parceria com o ex-titã Arnaldo Antunes, a ótima “Cadáver sobre Cadáver”: “retomamos esta referência que já estava na canção 'Cabeça Dinossauro', de 1986, e que agora experimentamos com mais profundidade”.

As faixas do álbum formam uma sequência vigorosa, intensa, difícil de desacoplar uma da outra, que retrata bem a personalidade forte dos Titãs. Essa contundência fica latente em “Pedofilia”, assunto tabu na música brasileira, composta do ponto de vista da vítima. A letra é o próprio depoimento, envergonhado e indignado, um desabafo depois de sofrer nas mãos de seu algoz. A interpretação de Britto é primorosa e revela todas as nuances do crime. Suave e doce nos argumentos do pedófilo, nervosa e repulsiva quando a vítima cospe para fora a barbaridade que sofreu.

“Nheengatu” tem homenagem. Tem influência da música indígena. Tem um pouco de baião, xaxado e samba. E tem muito rock’n’roll. A densidade e acidez das letras se complementam naturalmente na sonoridade do disco, ancorada no clássico trio guitarra-baixo-bateria. É Titãs em sua (melhor) forma e conteúdo. Sem nenhum pudor.

Fotos: Silmara Ciuffa

TITÃS

Onde:
Quando:
1º de julho, sexta-feira, às 21h
Abertura da casa:
19h30
Classificação:
14 anos

Ingressos:

Lote 1 [ESGOTADO]:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível ou agasalho, disponível para qualquer pessoa): R$ 65
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 60
Inteira: R$ 120

Lote 2:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível ou agasalho, disponível para qualquer pessoa): R$ 80
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 75
Inteira: R$ 150

Lote 3:
Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível ou agasalho, disponível para qualquer pessoa): R$ 95
Estudantes e idosos (desconto de 50%): R$ 90
Inteira: R$ 180

* Os alimentos e os agasalhos deverão ser entregues no Opinião, no momento da entrada ao evento.

** Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto), é necessária a apresentação da carteira de estudante na entrada do espetáculo. Os documentos aceitos como válidos estão determinados no artigo 4º da Lei Estadual 14.612/14.

Pontos de venda:

Bilheteria oficial (sem taxa de conveniência):
Youcom Bourbon Wallig

Demais pontos de venda (sujeito à cobrança de R$ 5 de taxa de conveniência):
Youcom Shopping Praia de Belas, Iguatemi, Bourbon Ipiranga, Barra Shopping Sul, Bourbon Novo Hamburgo e Canoas Shopping
Multisom Andradas 1001 e Bourbon São Leopoldo


Informações:



0 comentários:

Postar um comentário