Nando Reis, Paula Toller, Paralamas: levam 110 mil pessoas à estreia do Nivea Viva Rock Brasil

Publicado em: terça-feira, 5 de abril de 2016

O homenageado da quinta edição do projeto Nivea Viva é o Rock, ou melhor, as seis décadas de rock no Brasil. E novamente Porto Alegre foi a primeira capital a receber o evento que em 2012 homenageou Elis Regina, Tom Jobim em 2013, o Samba em 2014 e Tim Maia em 2015.

E a cidade fez juz à fama de capital roqueira.
110 mil pessoas presenciaram a estreia do Nivea Viva Rock Brasil na tarde do último domingo, dia 3 de abril, no Anfiteatro Pôr do Sol.  O mega evento, que reuniu pela primeira vez Paralamas do Sucesso, Nando Reis e Paula Toller encerrou as comemorações dos 244 anos da cidade.


O show que reuniu pessoas das mais variadas faixas etárias e que celebrou os 60 anos de rock no país, tem direção geral de Monique Gardenberg e direção musical de Liminha, que agrega a função de baixista da super banda de apoio formada por Dado Villa-Lobos (Legião Urbana), Maurício Barros (Barão Vermelho), Rodrigo Suricato (Suricato), Milton Guedes (Lulu Santos) e João Barone (Paralamas do Sucesso).

"Apesar das nuvens, que tarde linda, Porto Alegre! Muito obrigado por essa atmosfera, por essa onda do bem!" Assim agradeceu Hebert Vianna a recepção calorosa com que o público o recebeu, quando subiu ao palco juntamente com João Barone e Bi Ribeiro.

Essa fala do lider dos Paralamas do Sucesso descreve perfeitamente como estava o clima da festa. O anfiteatro Pôr do Sol tomado por uma multidão celebrando a música, o rock. Pessoas dançando e cantando as músicas que fizeram e fazem parte da sua vida.


Chamou atenção a quimica entre Paula Toller e Nando Reis no palco. Retifico, todos os músicos demonstraram uma coesão impar. Totalmente entrosados. Pensando ainda que os ensaios que foram feitos de antemão contaram com a presença de Pitty e de uma hora para outra os músicos tiveram que reorganizar-se sem a presença da cantora... Mais um motivo para parabenizar todos os envolvidos com o evento.

Excepcionalmente a estreia do projeto não contou com a participação de Pitty, que por recomendação médica, precisou ficar de repouso. Apesar do ocorrido o espetáculo não sofreu nenhum prejuizo, fato que não causou nenhum espanto, devido ao dream team de músicos reunidos no evento.


Foi algo surreal ver  um dos fundadores do Legião Urbana, Dado Villa-Boas, cantando hits da icônica banda. Emocionante! E não só ele. Estávamos vendo num mesmo palco, numa reunião inédita músicos cantando e tocando com quem interpreta, com quem compôs, com quem produziu, com quem fez e faz o rock brasileiro.


Rodrigo Suricato no palco representava a nova geração, o rock da década atual. Recentemente, devido a sua participação no Programa Superstar da Rede Globo o músico ficou conhecido nacionalmente. Confesso que foi uma grata surpresa. Sua performance não deixou nada a desejar em relação aos "Dinossauros" que dividiam o palco com o músico carioca.


Para homenagear Porto Alegre foi incluída no setlist do show a música "Você não sabe o que perdeu" da Cachorro Grande, que foi divinamente interpretada por Nando Reis. Como mencionei anteriormente - Imagino que possam ter pessoas criticando. Só uma música? Tentem imaginar a dificuldade para a escolher o  setlist  desse show, um setlist com tamanha abrangência. Some-se a isso escolher uma banda entre as muitas bandas de qualidade e que representam o rock que temos aqui no RS e mais a escolha dos próprios integrantes do show. A produção do evento está de parabéns, pelas escolhas que fez e que tão bem representam esse estilo tão enraizado no nosso país.

O show teve a duração de 2h30. Nesse periodo de tempo o público presente foi agraciado com um setlist que passeou por diversas fases do rock nacional.

Setlist do show:

Banho de lua (Franco Migliacci e Bruno de Filippi, 1959, em versão em português de Fred Jorge, 1960)
É proibido fumar (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1964)
Pode vir quente que eu estou fervendo (Eduardo Araújo e Carlos Imperial, 1967)
Quero que vá tudo pro inferno (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1965)
Panis et circenses (Caetano Veloso e Gilberto Gil, 1968)
Ando meio desligado (Arnaldo Baptista, Sérgio Dias e Rita Lee, 1969)
Agora só falta você (Rita Lee e Luiz Carlini, 1975)
Ovelha negra (Rita Lee, 1975)
Gita (Raul Seixas e Paulo Coelho, 1974)
Sonífera ilha, (Branco Mello, Marcelo Fromer, Tony Bellotto, Carlos Barmack e Ciro Pessoa, 1984)
Marvin (Patches) (Ronald Dumbar e General Johnson, 1970, em versão em português de Sergio Britto e Nando Reis, 1984)
Óculos (Herbert Vianna, 1984)
Meu erro (Herbert Vianna, 1984)
Tempo perdido (Renato Russo, 1986)
Será (Dado Villa-Lobos, Marcelo Bonfá e Renato Russo, 1985)
Até quando esperar? (Philipe Seabra, André X e Gutje, 1986)
Como eu quero (Paula Toller e Leoni, 1984)
Nada sei (Apnéia) (Paula Toller e George Israel, 2002)
A dois passos do paraíso (Evandro Mesquita e Ricardo Barreto, 1983)
Ciúme (Roger Moreira, 1985)
Olhar 43 (Luiz Schiavon e Paulo Ricardo, 1985)
Fullgás (Marina Lima e Antonio Cícero, 1984)
Me adora (Pitty, 2009)
O segundo sol (Nando Reis, 1999)
Vou deixar (Samuel Rosa e Chico Amaral, 2003)
Anna Julia (Marcelo Camelo, 1999)
Primeiros erros (Chove) (Kiko Zambianchi, 1985)
Talvez (Rodrigo Suricato, 2011)
A praieira (Chico Science, 1994)
Proibida pra mim (Chorão, Marcão, Champignon, Pelado e Thiago, 1997)
Você não sabe o que perdeu (Beto Bruno, 2005)
Mulher de fases (Rodolfo Abrantes e Digão, 1999)
Monte castelo (Renato Russo, 1989)
O último romântico (Lulu Santos, Antônio Cícero e Sérgio Souza, 1984)
Pro dia nascer feliz (Cazuza e Frejat, 1983)
Do seu lado (Nando Reis, 2003)
É preciso saber viver (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1968)
Agora só falta você (Rita Lee e Luiz Carlini, 1975)


O show mostrou que funciona muito bem para grandes multidões; a pré-estreia no Rio de Janeiro contou com convidados. Então a prova de fogo foi aqui em Porto Alegre.
E o que se viu na tarde de domingo na capital gaucha falou por si.
Uma multidão ovacionando seus idolos, cantando e dançando full-time.
Com certeza, mais um show que entra para a história dos grandes shows ocorridos aqui.

Após o show só consigo pensar numa coisa...
O Rock N Roll continua mais vivo do que nunca, ao contrário do que alguns dizem.

Parabéns à Nivea pelo projeto!

Parabéns à gauchada que compareceu ao evento e fez bonito!

Os shows passam por mais seis capitais: Rio de Janeiro (10/04), Recife (30/04), Fortaleza (15/05), Salvador (22/05), Brasília (05/06) e São Paulo (26/06), sendo que o último show terá transmissão ao vivo.












Veja mais fotos do show AQUI.

Agradecimentos à Agência Cigana pelo credenciamento.










Fonte Videos: Divulgação Nivea Viva Rock Brasil

Leia matéria no Whiplash.Net




0 comentários:

Postar um comentário