Caliban - Resenha do novo EP 'Coverfield'

Olá pessoal, aqui é o Vitor (@vitorhxcx) amigo da Karen daqui do blog Rocksblog.

Hoje eu vim aqui a pedido dela para fazer uma resenha sobre o novo lançamento do Caliban, que vazou ontem, dia 6 de maio.

Artwork do EP 'Coverfiled'


Pra quem não conhece a banda Caliban vou fazer um breve histórico:
A banda é alemã e surgiu ao lado da banda Heaven Shall Burn também alemã. Pertencentes a onda de Metalcore européia que começou no fim dos 90 e ganhando força a partir de 2004 mais ou menos. A banda ganhou uma maior projeção depois do lançamento do ótimo ‘Shadow Hearts’ em 2003, que foi seu terceiro trabalho. A partir deste álbum a banda conseguiu grande destaque nos festivais, cujas apresentações são marcadas pela ótima presença de palco dos integrantes e também pela interação com o publico. Em 2007 lançam o álbum ‘The Awakening’ que contem as musicas mais conhecidas da banda, como "I Will Never Let You Down" e "Nowhere To Run, No Place To Hide".



Seu penúltimo trabalho foi lançado em 2009, álbum que recebeu o nome de "Say Hello To Tragedy" e que manteve a linha lírica caracterista da banda, falando de amor e ódio, e com belos breakdowns e claro, vocal limpo do Denis contrastando com o vocal gutural do Andreas, que é muito agressivo sem apelar para ‘gritos’ desnecessários.


Foto promocional da banda em 2009

Bom terminado ai esse pequeno resumo sobre a trajetória da banda até agora, vou falar sobre seu mais recente trabalho, como já disse que saiu ontem, um EP de covers que recebeu o nome de ‘Coverfield’. Esse EP trás 4 covers, das bandas: Type O Negative, The Beatles, At The Gates e do Rammstein.

Esse trabalho foi anunciado há uns dois meses atrás e lançaram um teaser sobre, confira aqui.

Se quiser também, veja aqui um vídeo da banda de como foi o processo de gravação do EP:



Comecei ouvindo a primeira faixa do EP que é um cover do Type O Negative, da musica “My Girlfriend’s Girlfriend”. Pra quem já tem um conhecimento básico ai, sabe que esta musica teve o videoclip proibido em vários países por conter cenas que abordam o lesbianismo, como o próprio titulo da musica sugere. A musica em si já começa com uma modificação, não tendo mais aquela intro do teclado que foi substituída por uma na guitarra acompanha de um ‘timido’ teclado bem baixinho. E Andreas e Cia começam a desenvolver a musica numa pegada mais rápida, porém sem descaracterizar a musica. Ouvindo pode-se perceber que o Andreas abusa do vocal gutural da banda deixando-a mais agressiva, lembrando a fase do Pete Steele(fundador,baixista do Type O Negative) nos tempos da Carnivore (banda que seria pré-Type O Negative).

A segunda faixa do EP é a "Sonne" cover dos também alemães do Rammstein. Puta que pariu velho, cover mais foda que já ouvi da banda até agora. Rammstein por si só já é muito bom, só que não tem aquela agressividade toda, e é isso que o Caliban impôs a musica, velocidade e agressividade. Destaco o belo instrumental que eles fizeram com os riffs marcantes da musica muito bem executados pelo Denis e o Marc e sem esquecer também do baixo muito presente do Marco. E fora o vocal do Andreas que ficou PERFEITO, sem babação de ovo, mas o cara tem uma voz muito boa e ainda conseguiu melhorar uma musica de uma banda que já é boa. Pra mim esta é a melhor faixa do EP, merece muito ser ouvida. Então meu caro, escuta essa porra e faça banstante ‘banger’ ai:



A terceira faixa, já é um cover da ótima banda de Death Metal sueca, a At The Gates. A musica escolhida deles foi a "Blinded By Fear", ótima musica até. Achei-a não muito boa porque soou muito Caliban mesmo haha. Parece que é uma musica dos caras devido como foi executada.
A ultima faixa é um cover dos Beatles, é isso mesmo. Se viram o teaser o baterista da banda, Patrick, diz algo ‘se minha mãe ouvisse esse cover que fizemos do Beatles tenho certeza que ela teria um infarto’ haha. E realmente a musica ficou extremamente caótica, e eu como sou totalmente do contra, não gosto de Beatles de forma alguma. E até que gostei do cover por ser justamente o Caliban que a está executando-a. E claro, não posso esquecer-me de elogiar o trabalho do Patrick neste EP e assim como nos outros álbuns da banda, porque porra velho, o cara toca muito bem, e consegue ritmar toda a banda, para mim ele é a peça fundamental do Caliban.

Bom, eu daria nota 9 pra este EP, pelos simples motivos: poderiam ter escolhido mais faixas;poderiam ter escolhido outras musicas, essa do Beatles até que ficou ‘ouvivel’ todavia não gostei muito.



É isso pessoal, fiz um pequeno resumo ai para vocês entenderem um pouco da atmosfera do Caliban e fiz essa resenha ai do novo EP deles, vale a pena o download, muito até.
P.S: Assim que baixar, exclua a faixa do Beatles é melhor para todos! Hahahahaha
Até a próxima.

0 comentários:

Postar um comentário